No último sábado (31), a Dom Helder Escola de Direito inaugurou as Travessias do Direito, com a participação de alunos de diferentes períodos. A atividade foi coordenada pelos professores Agripa Mairink, Paulo Veríssimo e Carlos Cesar, com a colaboração do aluno Pedro Mendes, do segundo período do curso integral. Em um trajeto de aproximadamente 6 quilômetros, os estudantes puderam contemplar as belezas do Parque Estadual da Serra do Rola Moça, compartilhar aprendizados e reflexões numa rica experiência humana e pessoal. Em seguida, o grupo participou de momentos de convivência e lazer na Unidade III da escola, localizada em Casa Branca, distrito de Brumadinho.

De acordo com o professor Agripa Mairink, trata-se de uma experiência que promove uma aproximação com a natureza, tecendo vínculos entre os discentes e proporcionando consciência de justiça socioambiental.  “Ademais, é uma oportunidade para conhecer os limites e os desafios que nos cercam, mas, sobretudo, perceber também as nossas possibilidades e motivações diante do estudo do Direito e diante da vida”, afirmou o professor. A atividade corresponde a 10 horas complementares e é pensada para os alunos do Direito, a partir do segundo período.

O professor Agripa também explicou que o Travessias busca ser uma ação de aprendizagem dos conhecimentos e saberes internos, de perspectiva de futuro, carreira e projeto de vida. “É uma alegoria com a experiência de cada aluno de curso superior. Uma provocação à leitura da vida como permanente travessia”, completou.

Para a aluna Mariana Stella Assis, do 10º  período, a experiência, que em um primeiro momento parecia ser apenas mais uma trilha, seguida de uma tarde maravilhosa na Unidade III, tornou-se um dos momentos marcantes da universidade. “Durante o percurso, tivemos quatro paradas com alguns exercícios e reflexões. Todas elas continham trechos de poemas de Dom Helder Câmara, que reforçaram o aprendizado durante a trilha e deixaram também ensinamentos para a vida”, contou Mariana. A aluna aproveitou a oportunidade para agradecer a iniciativa da Dom Helder e pedir para que sejam realizadas novas edições. “Precisamos de exercícios assim, que acalmem nosso coração, pois, como estudantes, sofremos com o percurso da travessia e, pessoalmente, acredito que me deu uma injeção de ânimo muito grande”, finalizou.

Fotos: Juliana Costa