Com uma grande mobilização policial, o governo das Filipinas fechou nesta quinta-feira por seis meses a ilha de Boracay, a mais popular do arquipélago, vítima do turismo sem controle e que, nas palavras do presidente Rodrigo Duterte, virou uma "fossa".

Boracay, uma ilha paradisíaca de água cristalinas, sofre as consequências do rápido crescimento. O fechamento polêmico deve permitir a limpeza do local e a construção de estações de tratamento.

Para a operação, policiais armados com fuzis foram enviados aos pontos de entrada da pequena ilha.

O comandante da polícia regional, Cesar Binag, disse que a medida entrou em vigor à meia-noite. Os turistas estão proibidos de embarcar na balsa, principal meio de transporte até a ilha de 10 quilômetros quadrados, que fica 300 km ao sul de Manila.

"Boracay está oficialm

TEXTO ALTERADO 2