Professores declamam trecho de Grande Sertão Veredas

Diante da situação em que nos encontramos neste momento da pandemia da Covid-19, 51 integrantes do corpo docente da Dom Helder Escola de Direito participaram de um vídeo em que declamam um trecho do livro “Grande Sertão: Veredas”, de João Guimarães Rosa. Cada um com sua entrega e suas características únicas, que conhecemos tão bem.

Esta postagem não é sobre eles, é sobre todos nós. É sobre cada um fazer a sua parte. Formar uma corrente de amor, colaboração e empatia. É provável que muitos sentimentos surjam durante os 101 segundos deste vídeo. Que eles se multipliquem, nos dando força e esperança para enfrentar este momento difícil, novo, decisivo.

Afinal, o que a vida quer da gente? Coragem. União e corresponsabilidade.

Confira o vídeo:

Biblioteca estará disponível para empréstimo de livros

A Dom Helder Escola de Direito e a EMGE Escola de Engenharia iniciam, nesta terça-feira (31), o empréstimo de livros da biblioteca por meio do programa de Continuidade do Ensino Presencial (CENPRE). As escolas estarão abertas das 9h às 16h para que os estudantes possam buscá-los.

O procedimento de reserva dos exemplares deverá ser feito online ou por telefone (2125-8813) nos mesmos horários acima. Isto é, o aluno deverá reservar o livro desejado por meio de solicitação no Portal Acadêmico ou por meio de ligação para a biblioteca.

Os livros estarão disponíveis na entrada das escolas. Para retirá-los será necessário identificar-se para o porteiro através de interfone e assinar a ficha de empréstimo. A devolução dos livros será feita somente na volta às aulas presenciais.

É importante ressaltar que este procedimento é indicado somente àqueles que conseguem se deslocar com o próprio automóvel, sem ter a necessidade de utilizar transportes coletivos. A equipe da Dom Helder e a EMGE também poderá entregar os livros a um motoboy, que deverá retornar às escolas com a ficha de empréstimo assinada pelo estudante.

Neste momento, pedimos a compreensão e colaboração de todos para que a pandemia e o isolamento social passem sem maiores transtornos. É recomendado que fiquem em casa e só saiam por motivos de extrema importância, tomando todo o cuidado necessário.

Biblioteca Dom Helder e EMGE
Telefone: (31) 2125-8813
E-mails: biblioteca@domhelder.edu.br e biblioteca@emge.edu.br

Movimento Ecos: Juntos, podemos contra a Covid-19

Por Amanda Medeiros

O ano se iniciou com esperança de um projeto maior, com mais acessibilidade, mais desenvolvimento sustentável e com mais protagonismo da sociedade como um todo, dentro ou fora dos limites da escola. Porém, 2020 também começou com imprevistos que tomaram uma dimensão grande dentro da sociedade. O que podemos citar com propriedade é a pandemia mundial do novo Coronavírus, em que por medidas de segurança, tivemos que suspender os trabalhos em geral.

Movimento Ecos: nucleadora visita CICALT – Plug Minas

Por Rayssa Fonseca

O cuidado com o meio ambiente é um dever de todos e é essa ideia que o Movimento Ecos leva para as escolas. A expressão “Juntos, podemos” nos remete a esse viés de união, uma participação conjunta no desenvolvimento do Projeto Socioambiental e decorrer das atividades.

Para que o Movimento Ecos tenha o maior efeito possível, há participação conjunta de alunos das escolas parceiras, professores orientadores, docentes e direção da escola, alunos bolsistas, bolsistas de assistência técnica, nucleadores, estagiários, coordenação geral e comunidade num âmbito geral, além do apoio da Secretaria de Estado de Educação.

Dom Debate esclarece dúvidas sobre as eleições municipais

Uma nova edição do programa Dom Debate já está disponível no canal. Desta vez, o mediador Abraão Gracco recebe a professora Lara Marina Ferreira, da Dom Helder Escola de Direito. Lara é mestre em Direito pela UFMG e servidora da Escola Judiciária Eleitoral do TRE-MG.

No decorrer do programa, os professores debatem pontos importantes sobre as eleições municipais de 2020, como os requisitos para as candidaturas, o financiamento de campanha, a disseminação de fake news e as mudanças das regras eleitorais, entre outros pontos.

O Dom Debate é coordenado pelos professores Luiz Chaves e Abraão Gracco, da Dom Helder.

Professor da Dom Helder recebe homenagem da AGU

O professor da Dom Helder Escola de Direito, Marcelo Kokke, recebeu, na última quinta-feira (12), a homenagem de Comendador da Ordem do Mérito pela Advocacia-Geral da União, concedida pelo Presidente da República e pelo Ministro de Estado da Advocacia-Geral da União. A cerimônia de entrega foi realizada em Brasília.

A honraria, prevista no Decreto 8.625/2015, é entregue àqueles que “tenham prestado notáveis serviços à Advocacia-Geral da União ou aos órgãos a ela vinculados, em âmbito nacional ou internacional”. Além de Comendador, a Ordem do Mérito possui outros dois graus: Grã-Cruz e Grande Oficial.

De acordo com o professor, “é uma honra imensurável, indescritível. A atuação como Advogado Público, como membro de uma carreira de Estado que se volta para atender ao interesse público, é antes de tudo um compromisso para com a Constituição e para com a sociedade brasileira”.

O professor recebeu a homenagem no Palácio do Planalto, em Brasília

Aluna da Dom Helder realiza intercâmbio em Portugal

No último mês, a aluna Mariana Lima, da Dom Helder Escola de Direito, retornou de um intercâmbio na Universidade do Porto, em Portugal. A estudante viajou em agosto de 2019 após ganhar a bolsa do programa Santander Ibero-Americanas de 2018 em parceria com a Dom Helder.

Através do intercâmbio, a aluna cursou as disciplinas de Direito Econômico, Finanças Públicas e Ciência Política. Além disso, ela teve a oportunidade de concluir alguns cursos, tais como Introdução ao Direito Português, Jornadas de Fiscalidade e Argumentação Jurídica.

Mariana relata que conheceu diversas culturas novas, tanto em Portugal, quanto nas viagens que fez durante esse período em Marrocos, onde visitou o Deserto do Saara, Amsterdam, Roma, Milão, Berlim, Bruxelas, Paris, Barcelona e Madrid.

Para participar do intercâmbio, a aluna passou por um processo de seleção interna na Dom Helder, por meio do Centro de Simulação e Intercâmbio (CSI). O processo, criterioso e com várias etapas, aconteceu no ano de 2018. Uma das etapas avaliava a média acadêmica da estudante.

“Às vezes, durante o percurso acadêmico, a visão para o mercado de trabalho pode ficar distante e fazer com que o aluno se acomode durante o curso, mas manter-se sempre atualizado e com boas notas faz com que você esteja preparado quando oportunidades surgirem”, conta ela sobre manter a rotina de estudos.

Dentre os projetos realizados pela aluna em Portugal, ela teve a oportunidade de dar uma aula para os estudantes do 3º Ciclo de Ensino Secundário, equivalente ao nosso Ensino Médio, de uma escola portuguesa no projeto Aulas sem Fronteiras a convite da Universidade do Porto.

“A experiência de intercâmbio foi um divisor de águas na minha vida, foram meses que me proporcionaram grande amadurecimento pessoal e profissional em uma fase de transição extremamente importante na qual me encontro, entre o 10° período e o mercado de trabalho”, conta.

Para participar dos intercâmbios promovidos pela Dom Helder é só ficar atento às páginas do CSI.

Norma Padilha participa de bancas na Dom Helder

Na última semana, a Dom Helder Escola de Direito recebeu Norma Padilha, uma das pessoas mais influentes do Direito Ambiental. Norma atualmente é membro honorária do Conselho Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Direito (CONPEDI), membro da diretoria da Associação dos Professores de Direito Ambiental no Brasil (APRODAB) e líder de Grupo de Pesquisa Meio Ambiente, Trabalho e Sustentabilidade, cadastrado no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ). Além disso, ela recebeu em 2011 o Prêmio Jabuti na categoria Direito com o livro “Fundamentos Constitucionais do Direito Ambiental Brasileiro”.

A pesquisadora esteve presente na instituição para participar de duas bancas de mestrado juntamente o professor Bruno Torquato da Dom Helder, na última quinta-feira (12). As alunas Naiara Carolina Fernandes de Mendonça e Camilla de Freitas Pereira apresentaram duas dissestações, sendo elas “A proteção cultural do novo mundo: uma perspectiva a partir de Francisco de Vitória”, da primeira, orientada pelo professor Émilien Vilas Boas Reis, e “Sistema degradante labor ambiental: uma análise sistêmica sobre a relação de interdependência entre o trabalho escravo contemporâneo e a degradação ambiental”, da segunda, orientada pela professora Beatriz Souza Costa.

Bárbara Teixeira – Necom Dom Helder e EMGE